admin

Assessments: quais as vantagens?

No atual contexto de negócios competitivo e volátil, multiplicam-se os desafios que envolvem as pessoas ou que nelas impactam. Líderes e organizações são “postos à prova” diariamente com decisões estratégicas, cujo alcance pode ditar o sucesso ou o fracasso da sua missão.

Se na maioria dos casos o profundo conhecimento que detêm sobre a empresa, o setor e a estratégia de negócio representa um fator crítico para decidir na direção do sucesso, o mesmo deveria acontecer em relação a aspetos relacionados com pessoas.

6 questões para refletir:

  1. Conhece os pontos fortes e as áreas de melhoria dos seus colaboradores?
  2. Compreende realmente o seu potencial e consegue quantificar até onde este poderá levá-los?
  3. Sabe verdadeiramente quais são as motivações, expetativas e objetivos dos seus colaboradores?
  4. Que impacto poderá ter essa informação nas decisões que a sua organização tem que tomar, nomeadamente ao nível de recrutamento, expansão de operações, promoção, mobilidade, redefinição da estrutura, entre outras?
  5. É possível aumentar a eficácia e o engagment dos seus colaboradores com alterações que se revelem igualmente benéficas para estes e para a organização?
  6. Como poderá potenciar a mudança comportamental dos seus colaboradores, em alinhamento com a estratégia e valores da organização?

 

Agora coloque-se no seguinte cenário:

  • Tem um diagnóstico completo dos colaboradores, resultado de um olhar isento e equidistante em relação aos próprios, às funções que desempenham e à empresa que integram.
  • É-lhe entregue um levantamento estruturado do perfil de competências, drivers atitudinais, motivações e expetativas dos colaboradores, à luz daquilo que são os objetivos estratégicos, valores e comportamentos esperados pela organização.
  • Para além deste mapeamento do talento, são-lhe disponibilizados um conjunto de HR analyitics relevantes acerca dos colaboradores e de como vivem a organização.
  • Esta fotografia identifica os pontos fortes vs. áreas de melhoria dos colaboradores, o impacto que determinado comportamento pode surtir em diferentes interlocutores e/ou contextos, bem como contempla um conjunto de desafios personalizados para cada colaborador, materializados em iniciativas de desenvolvimento que poderão ser colocadas em prática para amplificar o que este faz bem e equilibrar o que é necessário fazer melhor.
  • Com base nessa “fotografia” individual prepara-se um feedback impactante e, por vezes, até desconcertante por implicar o confronto com uma perspetiva diferente acerca da forma como o comportamento pode ser percecionado pelos outros, despoletando, na maioria das vezes, uma reflexão profunda do próprio, condição essencial para a que a mudança comportamental ocorra.
  • O Assessment permitiu-lhe definir um conjunto de estratégias adequadas às necessidades dos seus colaboradores, com o objetivo de potenciar o seu desenvolvimento, seja através de formação, coaching, planos de desenvolvimento individuais, entre outras.

Neste cenário, o processo de assessment incluiu todas estas premissas e, para além de ter dado o mote para que cada colaborador se coresponsabilizasse pelo seu desenvolvimento, providenciou à organização informação crítica para decisões mais sólidas, visionárias e orientadas para o sucesso.

Os ganhos percecionados pelo colaborador e pela organização são tão mais elevados, quanto mais o Assessment for concebido numa ótica de desenvolvimento experiencial e transformacional.

O ponto de partida é garantir que a abordagem experiencial é suficientemente dinâmica e absorvente para apelar ao envolvimento emocional do participante em situações desafiantes, possibilitando a observação de comportamentos mais naturais e, consequentemente, maximizando a fiabilidade do processo.  A grande mais valia neste âmbito reside na possibilidade de customizar totalmente as situações em função dos objetivos e da organização, facilitando o desenvolvimento de novos comportamentos no colaborador.

Por outro lado, o assessment não se esgota nos outputs que gera, sendo um estímulo potente para desencadear o início de um processo de transformação que se pretende que ocorra nos colaboradores e na organização. A possibilidade que concede aos participantes de refletir, analisar e questionar os seus comportamentos, com base numa visão que vai muito além da sua perspetiva, motivações e convicções em relação a si próprio e à forma como se comporta, permite desafia-lo a elasticizar o seu comportamento e, assim, aumentar o seu potencial de ajustamento às várias situações com as quais se depara.

Na Jason acreditamos que pessoas felizes fazem mais, melhor e durante mais tempo e que o primeiro passo para a felicidade passa pelo autoconhecimento para o desenvolvimento. Por isso, convidamo-lo a descobrir as nossas soluções de Assessment, centradas na avaliação do potencial de desenvolvimento das suas pessoas, que serão os ativos mais importantes na construção do futuro de sucesso da sua organização!

Para mais informações sobre Assessments: hed@jasonassociates.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *