admin

Sabe qual é a base das equipas eficazes?

Um dos maiores desafios com que as organizações se deparam está relacionado com a construção de equipas eficazes. Para tal, a maioria das empresas implementa processos e sistemas que procuram uniformizar comportamentos e perseguir um resultado baseado em regras.

Esta abordagem pode aparentemente funcionar no curto prazo, como se se tratasse de um analgésico, mas o diagnóstico é muitas vezes diferente, por isso, o que esta solução trata na verdade é simplesmente o sintoma e não a doença.

Então, qual a verdadeira solução?

“Existe uma ‘coisa’ que é comum a todos os indivíduos, relações, equipas, famílias, organizações, nações, economias e civilizações por todo o mundo: é aquela ‘coisa’ que, se é retirada, destruirá o governo mais poderoso, o negócio mais bem-sucedido, a liderança mais influenciadora, a maior amizade, o carácter mais forte, o amor mais profundo.

Por outro lado, se desenvolvida e amplificada, essa ‘coisa’ tem o potencial de gerar sucessos e prosperidade em todas as dimensões da vida. Mesmo assim, é das ‘coisas’ menos percebidas, mais negligenciadas e com um potencial subestimado tremendo.

Essa ‘coisa’ chama-se CONFIANÇA.

A confiança impacta-nos 24 horas por dia, 365 dias por ano. Afeta a qualidade de todas as relações, de todas as comunicações, de todos os projetos, negócios e quaisquer outros esforços em que estejamos comprometidos. Define a qualidade do momento e altera a trajetória e o resultado dos momentos futuros da nossa vida, pessoais e profissionais.

Ao contrário do que a maioria das pessoas imagina, a confiança não é uma qualidade soft e ilusória que se tem ou não; pelo contrário, a confiança é pragmática, tangível e é um asset que podemos criar, e muito mais rapidamente do que se possa imaginar.”

Fonte: Stephen M.R. Covey in The Speed of Trust

Confiança é a base de equipas realmente eficazes

Não se trata de uma confiança binária, tipo, confia ou não confia. Tem mais a ver com a demonstração de comportamentos de confiança no dia-a-dia.

Por exemplo, quando uma equipa está a discutir um determinado tema em grupo, se não existir verdadeiramente confiança entre os elementos pode acontecer uma de duas coisas: assistirmos a um jogo de defesa, em que as pessoas procuram não ir a jogo para não criar fissuras nas relações ou por não quererem arriscar-se a ser alvo de consequências de uma intervenção mais profunda, ou então, assistimos a uma discussão de ataques cerrados, acusações e a um jogo de agendas individuais que não criam valor nenhum para a equipa.

Significa que se não existe confiança, não haverá uma discussão saudável. Sem uma discussão sã, não vamos conseguir o verdadeiro comprometimento da equipa e da responsabilização individual das tarefas atribuídas e assim a equipa não conseguirá ser eficaz.

Por outro lado, se existir uma relação de confiança entre os elementos da equipa, é possível ter discussões saudáveis, com abertura e sem preconceitos nem cristalizações. Com este tipo de discussão é muito mais fácil conseguir que as equipas se comprometam com uma direção porque tudo foi dito, tudo foi discutido abertamente. As responsabilidades são distribuídas de forma clara e assim conseguimos obter equipas claramente mais eficazes.

Para mais informações sobre este tema fale connosco hed@jasonassociates.com

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *