admin

12 coisas que podemos fazer para sermos mais felizes

O Dia Internacional da Felicidade celebra-se já no domingo, dia 20 de março, e enquanto empresa que acredita que “Pessoas felizes fazem mais, melhor e durante mais tempo”, a Jason Associates decidiu partilhar uma lista das 12 coisas que podemos fazer para sermos mais felizes no trabalho.

Sendo a felicidade corporativa uma das temáticas mais debatidas nos últimos anos, considera-se que a sua fonte não pode ser apenas das empresas, mas também das suas pessoas. Estas devem ter um papel ativo no desenvolvimento de um percurso que as faça sentir-se bem, felizes e realizadas.

Para que todos sejamos parte da criação da nossa própria felicidade e de forma a contribuirmos para a felicidade dos outros, ficam aqui pequenas ações que estão ao alcance de todos. Basta colocar na agenda e fazê-las acontecer… todos os dias!

  1. Começar o dia a fazer algo que gostamos: vai fazer com que nos sintamos muito melhor o resto do dia. Podem ser as coisas mais simples, como ir ao ginásio, beber um chá ou café enquanto lemos as notícias, antes de começarmos efetivamente a trabalhar, ou até mesmo apanhar 10 minutos de ar fresco.
  2. Ajudar um colega: até pode parecer senso comum para alguns, ou algo descabido para outros, uma vez que no meio da agitação profissional, pouco ou nenhum tempo nos sobra. Há estudos que afirmam que as pessoas mais felizes com o seu trabalho ajudam 33% mais os seus colegas do que as menos felizes.
  3. Fazer progressos e reconhecê-los e celebrá-los: quem é que não gosta de ir riscando items de uma to do list? Está provado que o facto de, ao longo do nosso dia, irmos fazendo progressos nas nossas tarefas nos traz uma grande sensação de felicidade, a “sensação de missão cumprida”. Ora, se terminarmos uma tarefa ou projeto é algo que nos traz felicidade, porque não organizar o nosso dia, ou melhor, começando logo pela manhã com, por exemplo, três coisas a terminar, mesmo antes de abrirmos o email ou atendermos um telefonema?
  4. Terminar o dia com gratidão: ainda que rapidamente estejamos programados para mais facilmente nos lembrarmos de algo mau que nos aconteceu, é sempre melhor pensar na situação positiva e ficar gratos pela mesma. O sentimento de gratidão está claramente associado à felicidade, como tal, por que não, chegar ao fim do dia e apontar algo de bom que tivemos no nosso dia? Ou ainda melhor, porque não chegar ao fim do dia e partilhá-lo com alguém? Está provado que ao ritualizarmos este tipo de sentimento todos os dias, a nossa felicidade aumenta.
  5. Sentir que o que fazemos tem significado: trabalhar apenas por trabalhar e garantir o nosso sustento não é algo que, por si só, traga felicidade. Mas trabalhar, sabendo que o nosso trabalho tem significado/um propósito e gera impacto no mundo que o rodeia, já é algo diferenciador e criador de felicidade e motivação.
  6. Tornar o escritório “a nossa casa”: sendo que passamos muito mais tempo a trabalhar do que em casa, nada melhor do que tornar o nosso espaço de trabalho uma extensão da própria casa ou de cada pessoa – sempre atendendo aos limites estabelecidos pela empresa. Isto trará um sentimento de pertença e conforto diferentes do que se for um espaço com o qual não nos identificamos, o que facilitará o desenvolvimento da motivação e até da nossa criatividade.
  7. Sorrir: sim, é um facto, sorrir traz mais felicidade, mas estar sorridente consegue aumentar ainda mais estes níveis, pois sorrir, mesmo quando, aparentemente não temos motivos, indica ao nosso cérebro que estamos felizes e vai proliferando esse sentimento. Se somarmos a isto o facto do sorriso em si ser contagioso, é fácil perceber porque nos tornará mais felizes no trabalho.
  8. Manter uma alimentação saudável e beber água: parece conselho de nutricionista, mas o facto é que sendo ou não, está provado que o facto de se manter uma alimentação saudável e ir bebendo água ao longo do dia terá um impacto significativo na energia que temos e precisamos.
  9. Fazer uma pausa: no meio de tudo o que temos para fazer, terminar e decidir, são muitas as alturas em que saltitamos de uns projetos para os outros, sem ter uma pequena pausa no raciocínio. Este tipo de atitude é contraproducente pois não dá tempo ao nosso cérebro de “mudar o chip” nem para uma pequena pausa antes de retomar o percurso criativo.
  10. Não atender o telefone de imediato: este ligeiro compasso de espera faz com que a nossa atitude perante o telefonema seja mais pensada e não tão reativa.
  11. Evitar o multitasking: apesar de parecer a melhor coisa do mundo, o multitasking faz com que o foco esteja disperso, com impacto na qualidade do que fazemos. É melhor fazermos uma coisa de cada vez.
  12. Tomar menos decisões: muitas vezes não damos conta, mas estamos constantemente a tomar decisões e, quem está em cargos superiores de gestão sente isto a uma muito maior escala. Ritualizar algumas práticas pode ajudar a diminuir a pressão da decisão constante. Por exemplo, planear as refeições que vai fazer durante a semana, poupa-nos às decisões sucessivas sobre o tema (Steve Jobs aplicava este tipo de iniciativa à escolha da roupa). O mesmo se pode aplicar a decisões profissionais – definir, à partida, algumas decisões em bloco vai ajudar a que não tenhamos que tomar tantas decisões no mesmo dia, poupando, assim, as nossas energias.

Para comemorar este dia, criámos uma página especial com mais conteúdo sobre o tema e no dia 20, lançaremos uma curta-metragem, em parceria com empresas felizes. Confira em diainternacionaldafelicidade.com.

Gostaria de saber mais sobre o assunto? hed@jasonassociates.com

Veja mais sobre o tema nesta entrevista à nossa partner Sónia Nunes:

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *