admin

Dicas para lidar com um ambiente de trabalho nocivo

Tem um ambiente de trabalho nocivo? A Jason Associates deixa-lhe algumas dicas para facilitar o seu dia a dia.

Uma sondagem de opinião realizada recentemente pela Agência Europeia para a Segurança e Saúde no Trabalho revela que cerca de metade dos trabalhadores europeus considera comum o stress relacionado com o trabalho. As causas mais frequentemente referidas são a reorganização ou a insegurança laboral, as jornadas longas ou a carga de trabalho excessiva, o assédio e a violência no trabalho.

Caso esteja a vivenciar uma situação profissional em que uma ou mais das referidas causas de stress profissional estejam presentes, deixamos-lhe algumas sugestões para gerir o seu nível de esforço, garantir a recuperação de energia e manter o foco na procura de soluções para um dia-a-dia de trabalho mais saudável.

  • Proteja-se das pessoas tóxicas. Ainda que racionalmente não sejamos capazes de o explicar, intuitivamente somos capazes de reconhecer as pessoas que influenciam negativamente a forma como nos sentimos. O espectro de comportamentos que estas pessoas adotam é amplo (desde ter uma atitude permanentemente negativa e derrotista até exercer poder de uma forma abusiva e agressiva) mas o efeito que têm em nós é simples de identificar: ter estas pessoas por perto deixa-nos cansados, abatidos, sem energia, ou mesmo deprimidos. Tente, tanto quanto possível, limitar a proximidade a estas pessoas e procure tornar as interações obrigatórias tão focadas e rápidas quanto possível (por exemplo, se tiver que reunir frequentemente com uma pessoa tóxica, prepare antecipadamente uma agenda da reunião, com os tópicos a abordar e questões que precisa de ver resolvidas, para limitar a duração do encontro).
  • Rodeie-se de pessoas positivas. Se no trabalho for capaz de identificar pessoas naturalmente positivas ou que lhe transmitam uma boa energia, procure potenciar oportunidades de interagir com elas (os pretextos podem ir desde almoçar com essa pessoa até iniciar projetos ou atividades pós-laborais em conjunto). Se o ambiente de trabalho for, na generalidade, opressivo, aproveite todas as oportunidades que tiver ao longo do dia para interagir com pessoas externas que lhe tragam estímulos mais positivos – se tiver um dia particularmente desafiante pela frente, experimente marcar um pequeno-almoço com alguém que considera inspirador, ou cuja atitude é focada em soluções, ou aproveite o horário de almoço para mudar de contexto e estar com alguém que lhe traga novas perspetivas.
  • Faça pausas ao longo do dia e aproveite para respirar. Se puder ir à rua e caminhar, nem que seja por 15 minutos, não tardará a reparar no efeito regenerador deste ritual. Se tal não for possível, tente pelo menos mudar de espaço (vá ao refeitório, ao bar, ou procure o isolamento de uma casa-de-banho) para mudar o foco da sua atenção.
  • Preencha o seu ambiente de trabalho com estímulos positivos. Rodeie-se de tudo o que lhe traga conforto e motivação. Poderá ser uma fotografia significativa na secretária ou no ambiente de trabalho do computador, uma playlist de músicas para o acompanhar ao longo do dia ou até um caderno com uma capa inspiradora…
  • Agende o final do dia de trabalho. Se definir claramente a que horas vai sair e como vai utilizar o seu tempo a partir do momento em que deixar o escritório, não só conseguirá garantir o tempo necessário para recuperar energia, como evitará desperdiçar o seu tempo livre em atividades pouco estimulantes. Faça uma lista dos seus interesses, procure oportunidades para os concretizar, e agende momentos específicos para os pôr em prática. Atividades manuais, como cozinhar, desenhar, pintar, consertar utensílios, podem ser particularmente relaxantes, e fazê-las em grupo poderá representar uma oportunidade para conhecer pessoas novas, de outros contextos, que lhe permitam distanciar-se ou pensar de forma diferente sobre a sua situação.
  • Ganhe perspetiva. Pense em todos os aspetos positivos do seu trabalho – O que o motivou quando se candidatou? Que oportunidades teve desde que iniciou a função? O que aprendeu? Que pessoas conheceu? De que forma evoluiu na sua profissão ou cresceu enquanto pessoa? Se lhe perguntassem o que retirava de bom desta experiência, o que responderia? Listar e rever regularmente estes pontos ajudá-lo-á a manter o foco nas suas motivações e na forma como este trabalho lhes dá resposta.
  • Caso opte por sair, defina um plano de ação. Se a sua decisão passar por mudar de contexto e procurar uma alternativa ao seu trabalho atual, será importante definir uma estratégia em que estabeleça claramente os passos que irá dar, quando, quais os resultados que espera alcançar e em quanto tempo, e quais os planos alternativos caso as suas iniciativas não resultem como previsto. Desta forma garantirá o foco na concretização dos seus objetivos.

 

Ana Vargas Santos  – asantos@thetalentcity.com